Deus de Barro
Sérgio Ricardo
Disse o louco eis aqui o elo rompido
E o vidente evidenciou
Disse o triste é penosa a penitência
Veio o crente e desconjurou

Ave ave ave arundê

Disse o sério é preciso achar a rima
Veio o fraco e se desculpou
Disse o forte eu assumo a consequência
E o palhaço então gargalhou

Ave ave ave aruandê

Disse o sábio o caminho é por si mesmo
Veio o cego e estendeu a mão
Disse o rude há lugar na minha leva
Veio o manso e se fez mais um

Ave ave ave aruandê

Disse o velho eis aqui o fim de tudo
Veio o moço e continuou
O juiz disse eu trago uma sentença
E o profeta silenciou

Ave ave ave aruandê

Discos

1973_Sérgio Ricardo