Do Morro à Matriz
Sérgio Ricardo
Esquece por hoje as notícias
E dobra o jornal
Não pára que o amor já te espera
Depois do sinal
Te lembro que estás na cidade
Onde o guarda te assalta
E a enchente te traga
E corre que na contramão
A impunidade vaga

Depressa a cidade absorve
Seus tristes finais
Entoa essa louca cantiga
Que não se ouve mais
Não pára, não olha, não cai
Porque o Rio é um só drama
Do morro à matriz
Chega e nos dá por momento
Um final feliz