Mundo Velho Sem Porteira
Sérgio Ricardo
Chora o apito
Recordação
De coisa viva
No coração

É mundo velho
Êta mundo sem porteira
Vou me levando
No retão da lembranceira
Minha dor é como a lenha
Numa caldeira
E a saudade um trem de carga
Sem passageira.

Chora o apito
Recordação
De coisa viva
No coração

Meu trem de carga
No retão da lembranceira
Faz tanto tempo
Quase que uma vida inteira
Era um vez uma santa
E padroeira
Minha amada mentirosa
Mas verdadeira