Quando Menos Se Espera
Sérgio Ricardo
Oh liberdade
Presa às grades da paixão
Sem ti não faz sentido
Ser um folião
Sem teu enredo
Que harmonia leva os pés no chão
Não bateria a fantasia
No meu peito

É noite, é dia
Eu não paro de procurar
Jardins sertões
Florestas porto do lugar
Porões mocambos
Prisões noite sem luar
Prantos benditos
Juras confissões de bar

E tu existes,
Diz um samba pelo ar
E que és mais bela
Que a flor do maracujá
Que vens no vento
Qual jangada em alto mar
E que apareces
Quando menos se espera